(auto) desafio: um prompt fill por dia em dezembro por charliefgrosskopf


[Comentários - 31]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

As mãos de Stuart estavam pressionadas contra a coxa de Camile, o sangue passando entre os dedos enquanto ele tentava estancar o sangramento. O corte não era grande, mas era fundo, com certeza ela ficaria com uma cicatriz. Camile estava tremendo, era frio e dor. Ela era resistente à dor, muito resistente à dor. Estava exausta. Ela havia corrido e havia lutado. A poça de sangue sob a sua perna estava cada vez maior e cada vez mais assustadora.

“Ele vai voltar com algum capanga” Camile falou enquanto tirava a arma do coldre, pronta para entregar a arma para que ele pudesse ir com uma certa segurança - ele não era o melhor atirador, mas sabia atirar relativamente bem “Você precisa ir.”

“Ir?”

“É. Ir. Você precisa ir embora daqui. Vá para um lugar mais seguro e ligue para a polícia.”

“Não, eu não vou embora e deixar você aqui para morrer.”

“Eu vou ficar bem.”

“Caso você ainda não tenha notado, você está sangrando. Você não vai ficar bem se esse sangramento não for estancado.”

“Não temos tempo para isso. Você não tem tempo para isso.”

“Eu não vou a lugar algum sem você.”

Os dois eram teimosos demais para que um deles abrisse mão do que queriam. Ela queria que ele fosse para um lugar mais seguro, que a deixasse para trás porque não havia como fugir se ela estivesse com ele. E ele queria que os dois saíssem em segurança.

“Eu não vou deixar você morrer.”

Ele tirou a camisa social que estava vestindo, ignorando o arrepio que o ar frio causou quando ele ficou somente com a camisa sem mangas que usava por baixo. Ele rasgou as duas mangas, precisava improvisar do melhor jeito possível.

“Stuart...”

“Não” ele dobrou uma das mangas “Você vai sair daqui comigo.”

Usou a manga dobrada para colocar sobre o corte. Com o torso da camisa, ele envolveu a coxa dela com força. E amarrou com a outra manga. Com um certo esforço - obviamente, Camile era pesada - ele conseguiu levantar ela. Fazendo questão que o lado pressionado contra ele fosse o lado direito para que Camile pudesse atirar se precisasse.

Claro que ele não deixaria ela para morrer sozinha

***

Camile havia desmaiado antes da ambulância chegar, mas o improviso de Stuart na sua perna diminuiu o sangramento o suficiente para que ela sobrevivesse. E agora ela estava na cama. Parecia tão mais pálida do que o normal que Stuart só acreditava que ela estava viva porque seu peito se movia lentamente e por causa dos bipes do monitor cardíaco.

“É o que ela faz, não é?” Stuart perguntou, parado na porta “Se sacrificar para ajudar outras pessoas.”

“Sim, é o que ela faz. A Cammy é... ela é altruísta demais para o próprio bem.”

“É perigoso... mas é admirável.”

Sarah assentiu. Ela sabia que era e ela morria de medo de quando Camile fosse longe demais

Nome: Hey Sally (Assinado) · Data: 09/12/2017 23:55 · Para: Dia 09 - Sem título

Meu bolinho <3

A Camile é tão fofa,esse cuidado q ela tem com as pessoas q as vezes até,negligência a sí própria.

"É perigoso...mas admirável" só li verdades.



Resposta do autor:

A Camile é preciosa demais para esse mundo :) ela é tão altruísta que é um pouco suicida 

 



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.