A executiva e a acompanhante de luxo por Naahdrigues


[Comentários - 332]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

 

Ela vai se aproximando dele e com as mãos trêmulas e os pensamentos a mil repetindo o mantra “Só é trabalho, faço rápido, pego a grana e vazo”. Tirei meu vestido usava um sutiã vermelho todo de renda, estava de calcinha fio dental vermelha de renda... Fiquei só de calcinha e sutiã pra ele .Olhei, e ele já estava com o pau pra fora, mal eu pisquei meus olhos e ele já tinha tirado toda sua roupa e fazia um movimento de vai e vem com a mão no pênis dele enquanto me olhava. Tirei meu sutiã, e depois tirei a minha calcinha. Ele batia um pouco mais forte... - Eu estava nua, como ele queria. Então ele se sentou, e bateu nas coxas para que eu sentasse ali. Seu pênis estava muito ereto, e bem duro. Claro, ele no mínimo teria tomado um Viagra, me aproximei, virei de costas para ele e fui me sentando devagar em seu pênis .Fui sentindo cada milímetro entrar em mim, era grande e doeu um pouco. Quando ele viu que havia entrado tudo, começou a dar leves trancos, até eu ir me acostumando. Minutos depois já me comia rápido, eu nem falava nada. Só ficava calada, quicando ali e fazendo meu serviço. Ele metia rápido e sem parar .Então ele me deitou no sofá, e enfiou seu pau na minha boca e me mandou chupar. Eu chupei, às vezes forte, as vezes fraco... Depois, ele se agachou abriu as minhas pernas e chupou minha buceta. Ele então enfiou seu pênis de novo em mim e me comeu naquela posição, tudo ia ficando mais rápido, mais forte. Ele gemia, eu não.   Então ele me colocou de quatro e sem dó nenhuma meteu todo seu cacete em mim e me comia numa velocidade estupenda, como os homens eram nojentos. Ele comia muito rápido, percebi que ele estava gozando. De repente, parou tudo. Tirou a sua vara de mim... senti aquela porra nojenta em mim. Ele se sentou do meu lado .Eu me sentei e coloquei a roupa. Ele ficou sem roupa mesmo...

 - Gostei muito. - olhou pra mim, ofegante

 - Você cavalgou tão gostoso. Quero te comer outro dia... -Quem sabe! Nossa, eu queria muito ter uma mulher que nem você... que me desse gostoso assim todo dia!  A minha não serve para nada.

- Cai fora, não curto homens. Só faço o meu trabalho, cadê o meu dinheiro? - ele pega a carteira e tira algumas cédulas e me entrega, levanto,  pego minha bolsa e saio sem nada dizer, me encosto na parede do elevador e fecho os olhos com uma angústia e um certo nojo do que acabo de fazer, faço sinal para o taxi e vou direito para casa de Carlão dá a primeira quantia do serviço, logo que cheguei ele pegou todo dinheiro e falou: o próximo programa também é meu só no terceiro que dividimos, tenho mais um programa pra ti, esse paga muito bem obrigado e modéstia parte as putas não dispensam esse cliente, vá lá e faça bonito mostre que sabe fazer, avisei ele que você é novata e ele adorou. Sai da casa dele e fui até o endereço chegando lá uma senhora de meia idade abre a porta e diz que o senhor Humberto (como ela chamou) me aguardava na sala, fui até ele e mal cheguei perto o homem pediu que eu já fosse com ele para o quarto na escada em direção ao quarto, ele mandou que eu tirasse minha calcinha e desse na mão dele, era rosa de fio dental, ele logo cheirou e sorriu.

- Que buceta mais cheirosa dessas que me acabo... - O cara ficou maluco de tesão só de sentir o cheiro da minha calcinha e ao entrar no quarto ele já veio me agarrando como um animal no cio, arrancamos nossa roupa e iniciamos um demorado 69, eu abocanhei seu pau com maestria e o chupava, ele enfiava a língua dentro da minha gruta e puxava meu grelo com seus  lábios, eu rebolava e as vezes sentava sobre seu rosto. Eu estava sendo uma vadia!!! - Ele segurou seu pau, que naquela altura já estava duro como uma pedra, se sentou e fez com que eu me sentasse em cima e o encaixou na minha buceta e começou a estocar de uma só vez, eu gemia de dor, pois não tinha tanta prática e ele sequer se importou com isso

 

- Vai putinha geme para mim?... - Quero saber se tá gostando dessa porra, Aaaah... - Em um dos movimentos ele me deu um tranco tão forte que não aguentei e gritei alto de dor, ele tinha gozado e deixado seu pau latejando dentro de mim ficou alguns segundos assim e logo depois estava me ordenando Kikar em cima de seu membro de uma forma frenética, eu estava me segurando ao máximo, não podia gozar tão rápido e então mudei de posição, ficamos de ladinho e ele passou a socar na minha buceta e apertar meus seios, eram bem grandes e os bicos estavam durinhos, de repente ele levanta e pede que eu me ajoelhe e coloque seu pênis na minha boca. Começo a fazer um boquete até ele gozar, sujando minha boca com sua porra ele tirou rapidamente e ainda Punhetou algumas vezes e logo jogou em meus seios. Fomos imediatamente tomar uma ducha e logo depois vesti minha roupa, recebi a quantia e sai sem me despedir, logo que sai um dos empregados de Carlão me aguardava na saída da casa do homem pediu o dinheiro e me levou até minha casa, foi um dia e uma noite totalmente cansativas para mim, me sentia um lixo, mais eu teria que aguentar firme e forte até conseguir ajudar a minha família.

Notas finais:

Oi gente, passando pra publicar mais uma continuação hoje mais cedo por que tô de folga, espero que estejam se agradando, prometo que os momentos lésbico logo vão aparecer, pensaram em sugestões para me ajudar a escrever o primeiro encontro de Ana e Gabriela?



Comentários


Nome: Val Maria (Assinado) · Data: 31/10/2016 04:39 · Para: Capitulo 3

Capitulo sensacional. Obrigada por nos presentiar com uma historia, e com esse enredo tao diferenciado . estou muito apaixonada por essa historia.Bjs amada autora.



Resposta do autor:

Fico feliz de ver que tem leitoras que estou agradando, continue lendo

 



Resposta do autor:

Fico feliz de ver que tem leitoras que estou agradando, continue lendo

 



Resposta do autor:

Fico feliz de ver que tem leitoras que estou agradando, continue lendo

 



Nome: rhina (Assinado) · Data: 30/10/2016 22:01 · Para: Capitulo 3

 

Olá. 

Realidade homens .....

Agora não dá mais para voltar. 

Não vejo a hora da Gaby ter um momento de felicidade. 

Até. 

Rhina 



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.