Três lados para uma moeda - jasmine (livro 2) por Raquel Amorim


[Comentários - 36]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Barbara entra com cuidado no quarto, mas ela não estava preparada para a cena. Sua filha estava deitada em sua cama, enroladinha, enquanto Jasmine fazia carinho em seus cabelos ruivos deitada ao seu lado. Ela não parava de olhá-la nem um minuto. Nem a porta se abrindo chamou sua atenção. Bárbara sorriu, era lindo ver a pessoa que ela estava começando a amar, tão ligada à sua filha daquela forma. Ela deixa a bandeja em cima da mesinha e vai em direção a cama deitando do outro lado da filha. Jasmine a encara por um momento, com um lindo sorriso no rosto.

- Por favor, me deixe fazer parte disso. Me deixe cuidar dela, de você. Por favor. – Ela dizia quase chorando.

- Você já faz parte. Ela ama você e pelo jeito, você também a ama.

- Quando eu olhei nos olhos dela, foi como se eu nunca mais pudesse ficar longe, foi como se ela se prendesse a mim. Eu a amo, não quero mais ficar longe dela. Me deixe ficar perto, mesmo que não queira nada comigo, mesmo que não me queria como mulher, mas por favor, não me afaste dela. Eu juro que vou cuidar de vocês. Eu prometo nunca magoá-las. – Ela já chorava.

- Hey, está tudo bem. Vamos ficar juntas. Isso que nós temos, pode não dá certo. Mas isso que você sente por Júlia nunca vai mudar. E prometo nunca interferir.

- Eu... obrigada. Alguma coisa nela me puxa para perto. Eu não consigo mais ficar longe. Ela é tão linda, tão perfeita. Eu... eu vou pagar o transplante. Vamos amanhã mesmo nos informar sobre isso.

- Mas...

- Não. Não ouse negar. Ela vai fazer esse transplante o quanto antes, eu não quero ver ela sofrendo nem mais um minuto. Eu vou vender o carro e comprar um mais em conta, para não ficarmos sem carro. Eu posso economizar na reforma, posso conseguir mais com o Lucas e..

- Hey, calma. Vamos com calma, nós vamos dá um jeito. E a cirurgia não é tão cara, o problema é que eu não podia mais fazer um empréstimo devido o primeiro. O André queria vender o bar, essa seria a nossa última opção. Na verdade, era a única que tínhamos.

- Então me deixe fazer isso. Eu não quero mais que ela sofra.

- Ok. Amanhã, resolvemos isso. Agora você precisa comer algo.

- Não. Ela não pode ficar sozinha, e se ela virar na cama? E se ela chorar? E se ela sentir dor?

- Nós não vamos deixá-la sozinha. Vamos comer aqui, pertinho dela.

- Quando você está no bar quem ficar com ela?

- A vizinha. Ela é babá.

- Ela é confiável? Ela cuida dela certinho?

- Jas. Fica calma. A Rebeca me ajuda desde sempre. Ela cuida da Júlia desde que ela nasceu.

- Eu estou sendo paranoica, não é? Mas é que....

- Eu sei. Eu me sinto da mesma forma. Eu só me acostumei com a sensação. Se eu pudesse nunca mais sairia de perto dela. – Ela fala acariciando a bochecha da loira, que pega sua mão e a beija.

- Eu prometo que vou amá-la como minha filha. Me dê essa chance e vamos ser felizes juntas. Não pense que é porque quero ficar perto dela. Eu a amo, mas eu também estou apaixonada por você. E foi antes de conhecer esse pequeno ser.

- Eu...você..

- Sim. Eu quero você. Só não te peço agora em casamento porque sei que levarei um não, então por enquanto fica em um pedido de namoro. Bárbara Cardoso, você aceita namorar comigo?

- É sério? Quer dizer, você não vai se arrepender amanhã?

- Não, nem amanhã e nem nunca. Apenas diga sim e eu te farei a mulher mais feliz desse mundo.

- Eu... Sim. Minha resposta é sim. – Ela quase grita, mas controla a felicidade para não acordar sua filha.

- Obrigada. Você me fez feliz em dobro hoje.

- Eu que agradeço.

            Elas se curvam um pouco e se beijam por cima da pequena que ressonava. Ela se sentia feliz também. De alguma forma se sentia bem perto de Jasmine. O destino ainda vai trazer muitas surpresas para o casal.

- Que tal comer agora?

- Seria bom. Mas não vou sair desse quarto. E pode ir se acostumando comigo aqui por um bom tempo.

- Se você quiser... quer dizer...

- Você está me convidando para...

- Eu sei, eu sei, é muito precipitado.

- Olha, isso seria como o paraíso para mim. Mas eu não quero apressar nada. Eu vi que tem um apartamento aqui no prédio para alugar, que tal eu ficar com ele? Estaria perto de vocês, e podemos sempre nos encontrar lá.

- É. pode ser. – Ela fala triste.

- Hey princesa, não pense que não quero. Seria perfeito. Mas depois de tudo que me contou, eu quero que confie em mim completamente. Nossa noite foi perfeita, e você me deu o maior presente de todos. Eu amo essa pequena aqui. Mas vamos com calma. Quando eu te pedir em casamento, será com você tendo a certeza que quer passar os restos dos seus dias comigo. Entendeu? - Ela assente. – Agora sorria, pois você fica muito mais linda sorrindo. – Isso fez ela sorrir. - Viu, muito mais linda.

- Idiota.

            Elas sentam na cama. A ruiva vai pegar a bandeja e coloca na cama. Aquele dia elas passaram juntas. As três. No período da noite Jasmine disse que não era para a ruiva ir ao bar, pois era para ela ficar com Júlia. Claro que não ousou contrariar, pois na verdade ela sempre queria isso, ficar perto de sua filha. Ela estava deitada na cama. Observando a pequena dormir. Fazendo carinho em seus cabelos.

 

- Acho que encontramos a nossa pessoa meu amor. – Ela beija a testa da pequena antes de pegar no sono.

Nome: lay colombo (Assinado) · Data: 11/08/2017 22:50 · Para: 19

Eita q mal começou e já qrem casar kkkkkk, mas eu entendo qnd vc sente q encontrou a pessoa não parece apropriado se afastar dela, então pq não casar não é mesmo ? 



Resposta do autor:

pois é...



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.