Ones musicais por Raquel Amorim


[Comentários - 64]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=k2C5TjS2sh4

 


Deve Ter Sido Amor, mas agora acabou!

Deixe um suspiro no meu travesseiro
Deixe o inverno para trás
Eu acordo sozinha, existe um ar de silêncio
Na cama, por todo lado (por todo lado)

Toque-me agora, eu fecho meus olhos
E fico sonhando

Deve ter sido amor, mas agora acabou
Deve ter sido bom, mas de alguma forma eu o perdi
Deve ter sido amor, mas agora acabou
Desde o momento que nos tocamos até nos separarmos

Faça-me acreditar que estamos juntos
Que estou amparada em seu coração
Mas por dentro e por fora, eu me tornei água
Como uma lágrima na sua palma da mão

E isso é um duro dia de inverno
Eu sonho

Deve ter sido amor, mas agora acabou
(Deve ter sido amor, mas agora acabou)
Era tudo que eu queria, agora estou vivendo sem você
Deve ter sido amor, mas agora acabou
(Deve ter sido amor, o vento sopra)
É onde a água flui
É onde o vento sopra

Deve ter sido amor, mas agora acabou
(Deve ter sido amor, mas agora acabou)
Era tudo que eu queria, agora estou vivendo sem você
Deve ter sido amor, mas agora acabou
(Deve ter sido amor, mas agora acabou)
Desde o momento em que nos tocamos até o momento que nos separamos

Yeah! Deve ter sido amor, mas agora acabou
(Deve ter sido amor, mas agora acabou)
Era tudo que eu queria, agora estou vivendo sem você
Deve ter sido amor, mas agora acabou
(o vento sopra)
É onde a água flui
É onde o vento sopra

Ohh!

(Deve ter sido amor, mas agora acabou)
Mas agora acabou
agora!
(Deve ter sido amor, mas agora acabou)
(Deve ter sido amor, mas agora acabou)
Agora!


 

 

            Cá estou eu mais uma vez deitada na cama que um dia dividimos olhando nossas fotos, nossos momentos lindos, alegres, de felicidade, apesar de tudo tenho que confessar, você me fez feliz, você errou, eu errei, nós erramos, mas fomos felizes. Aqueles sorrisos não poderiam ser falsos, eu sei que não eram, mas é uma pena que não foram para sempre. Pego dentro da caixa uma foto, a do dia que nos conhecemos, aquele foi um dia estranho, foi inevitável não sorrir.

FLASHBACK

            Entrei naquele lugar apressada, estava com muita fome, era horário de almoço e todos os restaurantes de Chicago resolveram lotar, pelo menos os perto do meu trabalho. A recepcionista me olha com pena, afinal, meu semblante dizia que eu precisava de comida urgente, mas também o seu olhar me mostrou que aquele lugar estava igual aos outros, eu entendi, afinal era um sábado e tinha aquele evento esportivo de basquete, todos os hotéis estavam lotados e os restaurastes também, eu sabia, pois era fisioterapeuta do principal time, nós iríamos ganhar naquela noite, mas eu queria apenas comida naquele momento. Acabei ficando tempo demais na academia com um atleta e perdi a hora. Todos já havia ido para a concentração.

- Desculpe senhorita, como pode ver estamos lotados.

            Pelo jeito eu iria desmaiar no meio do jogo, que ironia. Então respirei fundo e ia saindo, mas uma voz me chamou a atenção.

- Hey, você está sozinha?

            Eu encarei ela, tinha cabelos vermelhos e cacheados, como pode ser tão linda?

- Sim.

- Bom, eu também e tenho uma reserva, se você não se importar de comer com uma estanha, pode sentar comigo.

- Mas... eu nem conheço você.

- Prazer, sou Carla Ramirez.

            O sorriso dela era perfeito, mas a minha barriga roncava de fome, eu só queria comer.

- Aceito. Sou Adriana Perez.

FIM DE FLASHBACK

            Você deveria ter me falado a verdade, Carla, deveria ter sido sincera sobre quem era de verdade. Depois daquele dia, onde trocamos nossos números, passamos a nos comunicar, eu viajava bastante devido ao time, nossa amizade crescia, e dali para algo mais era questão de tempo, isso ocorreu quando me falou sobre gostar de garotas.

FLASHBACK

            Estávamos em meu apartamento deitadas no colchão que coloquei perto da tevê na sala. Comíamos pipoca e assistíamos o filme “Azul é a cor amis quente”, aquelas cenas de sexo eram perfeitas, pena que elas não ficaram juntas, mas foi legal. Então quando chegou na cena delas transando loucamente, você virou para mim e parou de sorrir, malditos olhos avermelhados. Se aproximou mais e eu já respirava com dificuldade.

- Eu gosto de garotas.

            Aquilo foi mais que uma confissão, afinal você sabia que eu era lésbica, então porque não falou logo no início? Eu não queria saber no momento, eu só queria beijar você, com um sorriso no rosto eu te dei a permissão que pedia. Então você avançou com força, vontade, desejo e mostrando que aquele toque era esperado há muito tempo por você, não demorou para estar em meu colo tirando a roupa. Ah, eu faria aquilo, porque além de você ser linda, era a minha melhor amiga, e com certeza aquilo daria muito certo.

- Eu sempre desejei você.

            Seu sussurro no meu ouvido foi avassalador, nosso tesão, nossos corpos, aquilo era verdade, era só você e eu, aquilo que importava. Naquele dia nos entregamos, assim como foram os dois meses seguintes. Era o começo de um lindo sentimento.

FIM DE FLASHBACK

            Quando penso em quantas oportunidades você teve de falar a verdade, eu sinto raiva por isso, porque você não foi sincera, era tão lindo, tão especial, você esperou eu me apaixonar para quebrar o meu coração.

- Porque você esperou tanto, Carla?

            Pego outra foto. Nessa estávamos sorrindo com as cabeças deitadas na toalha xadrez depois de um piquenique perfeito que eu preparei para nós. Eu nunca fui clichê, mas até isso você tirou de mim, me fez ser essa boba apaixonada, essa garota que faz tudo pela outra, não que isso seja ruim, mas só é bom com a pessoa certa, e você não é ela. Naquele dia foi a primeira vez que falamos as palavras mágicas.

FLASHBACK

            Você sorria para mim, eu estava deitada de costas na toalha e você estava me encarando, apoiada em seu cotovelo e com a outra mão acariciava meus cabelos dourados. Era um dos poucos fins de semana que eu tinha livre.

- Você é tão linda.

            Eu sorrio para aquilo, porque você falando isso era até covardia tamanha a sua beleza.

- Não mais que você.

            Então você sorri de volta e me beija, eu podia sentir seu amor.

- Eu amo você.

            Meu coração disparou, meu corpo tremeu, mas eu sorri, porque você me transformou em uma boba apaixonada.

- Eu também amo você.

FIM DO FLASHBACK

            E era tão verdade que as palavras saíram naturalmente. Eu amava você, e o que mais dói é que eu sentia o seu amor. Agora eu choro, não por arrependimento, mas sim por ter deixado ir tão longe, eu deveria ter percebido. Eu viajava e você nunca reclamava, dizia que entendia o meu trabalho, você sumia por dias, dizia que também era a trabalho, e eu acreditava, afinal, eu olhava para mim e entendia completamente. O meu sorriso irônico é por vergonha de mim mesma por nunca ter percebido.

- Eu amava você, com certeza foi amor, pena que não soube lidar com isso.

            Pego outra foto, essa era a mais dolorosa, nem sei porque a guardo, talvez para me dizer que acabou, para provar que acabou. Lembro de ter visto ela na revista do mês. Depois de quatro meses juntas, quatro maravilhosos meses, eu soube a verdade, soube quem era você.

FLASHBACK

            Entrei em meu apartamento exausta, afinal acabei de chegar de viagem, faziam três dias que não tinha uma notícia de Carla, estava preocupada, mas agora eu só queria minha cama, deixei todas a correspondência na mesa e depois foi o que eu fiz, tomei um banho, comi uma besteira, peguei as cartas e revistas e fui para o quarto. Abri todas e por último a embalagem da revista do mês, eis a minha surpresa, lá estava ela, linda, com seu vestido de gala e seu sedoso cabelo vermelho, ela sempre estava linda, mas o que quebrou o meu coração foi a notícia.

“Carla Ramirez, filha do empresário Carlos Ramirez anuncia seu noivado com o engenheiro Robert Gonzalez. Os dois namoram há quase cinco anos e resolveram dá mais um passo na relação, A mulher é a única herdeira das empresas do pai, assim o casal além de lindo juntos, também serão os mais ricos do estado”.

            Meu coração doía, meus pulmões não receberam ar. Você me traiu, Carla, da pior forma possível, não deveria ter deixado chegar a esse ponto. Eu comecei a chorar, comecei a desistir, então a campainha tocou, eu não tinha certeza, mas alguma coisa que disse que era você, e olha só, quando abri a porta você estava lá, com os olhos inchados e vermelhos, eu entendia, mas não queria ficar perto de você, se você fez a sua escolha, então viva com ela.

- Vá embora, eu já entendi.

- Não, você não entendeu.

- Sim, Carla, eu entendi. Por favor, vai embora.

- Eu amo você.

- Como pode dizer isso? Desculpe, mas você não ama.

- Eu amo.

            Então você entrou e me beijou. Merda, sim, você me amava, eu sei que sim.

- Fique, se me ama, fique comigo.

- Eu... eu não posso, não do jeito que você quer, eu tenho que casar com ele.

- E eu serei o que? A sua amante?

- Não, por favor, Drica, entenda, eu amo você, mas...

            Então eu me afastei, depois de um “mas”, sempre vem o pior. Você pode até me amar, mas nem isso foi suficiente para abrir mão da vida de luxo e do dinheiro do seu pai, então o seu amor eu não quero.

- Vá embora.

- Por favor.

            Nossos olhos estavam vermelhos.

- Vá embora e nunca mais me procure, eu juro que vou te esquecer, eu juro que vou te tirar do meu coração.

            Eu podia ver a sua dor, mas ela não era maior do que a minha.

- Eu te amo, nunca se esqueça disso.

            E foi embora, para nunca mais voltar.

FIM DO FLASHBACK

            Você foi importante, Carla, muito importante. Eu passei a dormir agarrada ao seu travesseiro, sempre olhava essas fotos para recordar de você, faz um ano e eu ainda penso em você, mas não da mesma forma, fico imaginando como você está, soube do seu casamento, aconteceu dois meses depois que saiu da minha casa. Foi impossível não chorar com a notícia, foi impossível não pensar que poderia ser eu. Aquilo doía, eu sabia que me amava, eu sabia que era amor, mas acabou, acabou porque você foi fraca.

- Eu amava você, mas acabou!

            Passei três meses vivendo essa dor, essa angustia. Via fotos suas em revistas, o novo casal do ano. Até que um dia tudo mudou, a dor já não era tanta, o sentimento estava morrendo e eu a conheci.

- Hey, o que está fazendo?

            Eu olho ela entrar em nosso quarto. Aquele sorriso que eu tanto adoro.

- Eu... resolvi me desfazer disso.

            Ela senta na cama também e encara as fotos, isso que eu amava nela. Mesmo sabendo de tudo, mesmo tendo a possibilidade de eu ainda amar um passado, ela ficou, me ajudou, me apoio e é por ela que hoje posso afirmar, era amor, mas acabou!

- Tem certeza? – Sophia me encara com aqueles olhos negros e seus cabelos também negros caídos pelo ombro.

- Sim, chegou a hora.

            Ela sorri para mim e se aproxima, me beijando de leve.,

- Eu amo você.

            Aquela frase saindo da boca dela doeu por um tempo, porque eu sempre lembrava de Carla. Mas com o tempo aquela mulher na minha frente me mostrou a verdade, diferente do meu antigo amor, Sophia me levou para conhecer a família, me mostrou seu escritório de advocacia, me levou para shows, cinema e outros lugares, então eu percebi, ela não era você, nunca seria você.

- Eu também te amo.

            Ela sorri de volta, sabia que se eu estava falando aquilo, então é verdade.

- O que pretender fazer?

- Queimar, vem. – Levanto da cama e puxo sua mão.

- O que? Agora?

- Sim.

            Então vamos para a cozinha. Minha noiva me abraça por trás e beija meu ombro, estávamos observando todos os papéis virando cinza na lata de lixo de metal. Os braços em volta do meu corpo, o perfume de Sophia, seus beijos em meu ombro, eram situações que me acalmavam. Ela sabe, eu sei, Carla sabe. Era amor, tinha que ser amor, mas acabou. Aquela era a prova, eu estava deixando o passado onde deveria ficar, no passado. Acabou!

- Eu amo você.

            Digo ao virar meu corpo e encarar a minha noiva. Ela sorri simples e beija meus lábios de leve.

- Eu amo você.

 

            Aquele é o meu novo amor. 

Nome: Blume (Assinado) · Data: 22/11/2017 16:16 · Para: 15. IT MUST HAVE A BEEN LOVE (DEVE TER SIDO AMOR) – Roxette

ola.

 

cada vez melhor.

 

parabens 

bjbj



Nome: mtereza (Assinado) · Data: 18/11/2017 09:38 · Para: 15. IT MUST HAVE A BEEN LOVE (DEVE TER SIDO AMOR) – Roxette

Melhor dizendo algumas músicas porque muitas hoje em dia principalmente são desconstrução da literatura poesia e até da música em si totalmente descartáveis como as polcas escritas pelo personagem daquele visionário conto de Machado de Assis Um Homem Célebre q já naquela época criticava essas músicas pobres em letra e melodia as chamadas descartáveis



Resposta do autor:

Na verdade o Brasil vem se deteriorando há um tempo em termos de qualidade poetica e musical, confesso que não sou fã de poesia, prefiro literatura e moderna, mas sei dá o seu devido valor. Bjussss



Nome: mtereza (Assinado) · Data: 18/11/2017 09:31 · Para: 15. IT MUST HAVE A BEEN LOVE (DEVE TER SIDO AMOR) – Roxette

Sabe lendo os seus contos lembrei de uma conversa que tive com uma amiga que estava questionado o fato de Bob Dylan ter ganho o Nobel de literatura sem nunca ter escrito um livro realmente só músicas lembro que eu defendi por as letras deles são verdadeiras poesias e contam histórias lendo os seus contos vejo isso músicas são literatura pura  



Nome: Krikadreammy (Assinado) · Data: 18/11/2017 00:55 · Para: 15. IT MUST HAVE A BEEN LOVE (DEVE TER SIDO AMOR) – Roxette

Olá Carla, 

 

Amei, realmente não esperava uma história assim, mas foi exatamente como a música diz: " Poderia ter sido amor, mas agora acabou!"

Melhor impossível.

 

bjs Kris



Resposta do autor:

Obg linda, já conhecia a musica e é linda, bjussss



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.