O amor e suas conquistas por Bia Ramos


Adormeci novamente, acordei com a campainha tocando sai tropeçando da cama e corri para ver quem estava tocando naquela hora, olhei no relógio eram oito da manhã, nossa até me assustei, olhei pelo olho mágico e vi que Bianca estava na porta, fechei os olhos e abri a porta, estava de camiseta e shorts, descalça parecendo uma doida, quando abri a porta ela perguntou:

-Ainda não está pronta?

-Do que está falando?

-Ai meu Deus Bia, você bebeu ontem?

-Não, está maluca, de onde tirou isso?

-Está com cara de quem está com uma baita ressaca.

-Acabei de acordar, queria que eu tivesse como?

-Tenho dó da mulher que um dia casar com você.

-Não enche Bianca, vou tomar um banho, se quiser pode fazer o café.

-É o que me resta néh.

Sorri indo para o quarto, arranquei a roupa ligando o chuveiro e entrando em baixo da agua morna deixando-a correr livre pelo meu corpo, sai do box enrolada em uma tolha secando o cabeço com outra, escovei os dentes entrando no quarto para procurar uma roupa adequada, quando estava quase terminando Bianca entrou no quarto com uma xicara de café fresco dizendo sarcástica:

-Senhora seu café, deseja mais alguma coisa!? Uau, agora sim está parecendo minha chefe.

-Não enche pirralha, obrigada pelo café, você e muito gentil e chata ao mesmo tempo.

-Podemos ir, queria curtir o máximo possível esse final de semana, também estou precisando de férias.

-Acabou de voltar de férias e já quer outra esta doida?

-Não posso sonhar?

-Bora pegar a estrada, tenho uma coisa pra te contar!

Seguimos para a chácara, contei tudo a ela, sobre as investidas de Amanda, do que rolou com Jéssica, minha prima era uma boa ouvindo, contei do meu dilema e ela me aconselhava, falou o que achava desse triangulo e me ajudou muito, precisava desabafar, estava sufocando com tanta coisa guardado.

O sábado passara tranquilamente, família e amigos reunidos, no domingo estavam todos preparados para o churrasco, eu não bebi, pagava mico quando fazia, procurava evitar, Ricardo apareceu por lá no final da tarde, felizmente fora sozinho, estava preocupada que ele levasse Amanda e a confusão se formasse, mas fiquei feliz por ele estar lá.

Fábio não pode ir, estava viajando com a nova namorada, mandou mensagens parabenizando meu irmão prometendo que na próxima estaria sem falta, a família toda reunida na área espalhados em redes e bancos por lá, era uma delícia quando ficávamos assim, sentia falta da casa da mamãe.

Meus irmãos apareceram com os violões e acabamos o restante da tarde tocando e cantando, vários ritmos, não me sentia solta a muito tempo, adorava aquele ar, aquela sensação de estar de volta em casa, mas precisávamos voltar para cidade naquela noite mesmo, Bianca enchera a cara, por isso tive que me segurar para voltar dirigindo.

Despedimos-nos e fomos embora, a levei pra minha casa, passava das 23hs quando chegamos a minha casa e ela mal conseguia ficar em pé quando chegamos a coloquei na cama de hospedes, não iria ajudar com o banho, seria demais ver minha priminha nua, depois de tanto tempo sem sexo, fui para meu quarto tomei um banho e deitei na cama esticando o corpo.

Fiquei pensando em Jéssica e em como nos trataríamos na segunda-feira quando nos virmos, deixei isso de lado fechando os olhos, logo adormeci, acordei com um forte cheiro de café, olhei para o relógio eram 7hs30min da manhã, decidir que mataria Bianca quando levantasse.

Tentei adormecer novamente, mas não consegui aquele cheiro me atraia, sai da cama indo em direção a cozinha e lá estava minha priminha digna de piedade, a perdoaria daquela vez, estava destruída, comentei sarcástica:

-Tenho pena do homem que casar com você e ter que te ver no dia pós bebedeira.

-Há, há, há...

-Tudo bem?

-Muita dor de cabeça, porque me deixou beber tanto?

-E desde quando precisa de alguém para te proibir de fazer alguma coisa?

-Estou péssima, não vou conseguir trabalhar hoje!

-Até as 9hs você melhora, só está precisando de um banho para tirar essa essência de cachaça do corpo.

-Nossa, ajudou muito hein...

-Desculpa queridinha, lhe darei a manha de folga contando que esteja as 13hs em ponto na escola.

-Ah eu te amo!

Se jogou em meus braços me beijando, depois correndo em volta da casa pegando as coisas dela e saindo em disparada para a porta, gritei da cozinha:

-Não parece tão mal com essa correria toda!

Ela já tinha ido quando lembrei que não estava com a chave para abrir a escola, droga e agora? Tomei um banho rápido, ainda tinha que passar na casa daquela doida pra pegar as chaves e ir pra escola, ainda bem que ela morava perto da escola e não estava chovendo, poderia ir de moto e evitar transito, quebrei meu recordo no banho e estava a caminho da casa de Bianca, quando estava próxima a escola, reconheci Jéssica em seu carro indo direto para La, virei à esquina e ela saia do carro, respirei aliviada, não precisaria ir até a casa de Bianca.

Esperei ela entrar no prédio para encostar a moto, não queria dar de cara com ela logo cedo, não desarmada! Corri até o café ali próximo pegando dois cappuccinos e segui para a escola, quando cheguei à escola estava aberta, a porta da sala dela também, coloquei meu capacete na mesa, fazendo barulho propositalmente para ela vir até mim, não demorou muito ela apareceu na porta da sala comentando:

-Bom dia, achei que fosse a Bianca, normalmente eu chego e ela já está aqui?

-Bom dia! Pois é, aconteceu um imprevisto e ela não poderá vir agora pela manhã.

-Tudo bem com ela?

-Ah sim, ela só exagerou na bebida ontem.

-Entendo...

Ficamos em silencio uma olhando para outra quando lembrei que tinha trazido café estiquei o braço oferecendo um para ela dizendo:

-Acabe de pegar um café, e vi que você tinha chegado peguei um para você também.

-Obrigada Bia... Beatriz, pela gentileza.

-De nada, que isso...

Percebi a troca do apelido pelo nome, desviei o olhar ao som da companhia do telefone ajudou nos tirando do transe apenas disse:

-Preciso atender.

-Fica à vontade.

Atendi ao telefone, ela entrou na sala dela fechando a porta em seguida, fiquei por ali na recepção mesmo, liguei o computador de Bianca e acessei minha caixa de e-mail, respondendo alguns, estava terminando uma ligação quando André chegou comentando:

-Opa, temos uma nova secretária?

-Pois é, Bianca não poderá vir agora pela manhã, estou apenas cumprindo com minha obrigação, tudo bem com você?

-Estou bem obrigado por perguntar.

-Senta ai, vamos conversar um pouco, como está seu filho?

-Está bem graças a Deus, foi uma viroso, acabou pegando todo mundo lá em casa, hoje minha esposa estava lá com dor de cabeça.

-Nossa, quando essas viroses atacam todos em casa, fico feliz por seu filho estar bem.

-Obrigado Bia, você é uma ótima chefe e uma boa amiga, não tive a oportunidade de agradecer por ter me liberado mais cedo naquele dia, agradeço de coração.

-Não foi nada que isso, você é um bom rapaz.

Ficamos conversando por mais algum tempo, até que as crianças começaram a chegar, ele pediu licença indo para sala ligar os computadores, lembrei-me do que acontecera na sexta e levantei para falar com ele:

-André, na sexta estive aqui, vi que a máquina 14 estava com problemas, acabei tendo que restaurá-la estava com vírus, poderia por gentileza dar uma olhada geral para ver se todas as maquinas estão ok?

-Claro Bia, passo o relatório para você no final da tarde.

-Obrigada.

Estava saindo quando acabei esbarrando em Jéssica novamente, não vi que ela estava próxima a porta, sorri com ela ainda em meus braços, me afastei pedindo desculpa, o telefone tocara e fui em direção a ele atender, ela ainda estava por ali me observando, as crianças estavam esperando a aula começar, não demorou muito André veio busca-los.

Normalmente na segunda-feira naquele horário tínhamos poucos alunos, eles entraram e ficamos Jéssica e eu ali na recepção, o telefone tocou, olhei para ela que sorriu comentando:

-Hoje ele não para!

Sorri atendendo e ela simplesmente se sentou, quando terminei a ligação, sentei respondendo ao comentário dela:

-Não percebemos o quanto a secretária trabalha até ficarmos no lugar dela, sinto pena de Bianca, só não fale isso para ela, do contrário pedirá um aumento.

-Não falarei nada, prometo.

Ela sorriu e passei a observar os gestos dela, quando me olhou não desviei o olhar, resolvi que não fugiria mais de meus sentimentos, ela sorriu sem jeito perguntando:

-Porque quando me olha, sinto que está querendo ver minha alma?

Olhei bem para ela e resolvi ir abrindo o jogo, com calma inspirei fundo respondendo:

-Porque talvez seja essa a minha vontade.

Ela me olhou surpresa, o telefone tocou sorri atendendo-o, em momento algum tirei os olhos dela enquanto falava ao telefone, poderia me enganar, mas podia apostar que estávamos flertando, desliguei o telefone e ficamos algum tempo conversando, deixamos o clima mais leve, e pouco tempo depois estávamos rindo de bobagens quaisquer que dizíamos.

O celular dela tocou pediu licença para atender, fiquei observando ela falar ao telefone, as vezes me olhava sorrindo, e eu cada vez mais encantada com a leveza de sua voz, quando jogava os cabelos para traz, as vezes mordia os lábios quando estava pensativa.

Ela encerrou a ligação comentando cabisbaixa:

-Você me deixa sem graça, quando fica olhando fixamente assim pra mim.

-Desculpa, não faço por mal!

-Eu sei, só é desconcertante!

-Prometo disfarçar mais meus olhares.

O telefone tocara novamente, estiquei o braço atendendo-o, essa ligação demorou um pouco mais, era aluno interessado no curso, expliquei-lhe como funcionava o nosso sistema, respondi as perguntas, sentia o interesse do aluno, e por fim o convidei para vir até a escola conhecer pessoalmente, peguei a agenda de Bianca, anotando as informações para entrarmos em contato mais tarde, encerrei a ligação, enquanto anotavas mais alguns detalhes Jéssica comentara:

-Acho que você está no ramo errado!

-Eu? Porque?

Olhei para ela sorrindo achando graça no comentário feito, esperando uma resposta que não demorou a vir:

-Sim, deveria trabalhar na parte de vendas, você tem as características de um bom vendedor.

-Quais seriam essas características?

-Primeiramente a paixão pela sua profissão, você se derrete toda quando fala de Informática e de seus cursos, sabe ouvir e se expressa muito bem, autoconfiante e paciente, você cativa, por exemplo eu, estava aqui ouvindo sua conversa, se fosse uma cliente em potencial ficaria tentada a aceitar fazer um curso.

-Nossa...

Comecei a falar, mas André apareceu dizendo:

-Bia, poderia vir aqui um segundo?

-Claro, licença Jéssica, volto já!

-Fica à vontade!

O segui para saber do que se tratava, um dos cursos estava travando, e só acessando com a senha administrativa para ajustá-la, essa senha os Monitores não possuíam, somente os professores e ou Bianca, para caso de algum problema com os computadores, destravamos o curso, mas estava no final da aula já, dispensamos os alunos, poderiam ficar os 20 minutos propostos para acessarem a rede.

Voltei para a recepção, mas alguns pais já se encontravam por ali, minha conversa com Jéssica que estava começando a ficar interessante ficaria para mais tarde, ela voltou para a sala dela, fiquei com os pais até os alunos saírem aos poucos indo embora, André desligou as maquinas prometendo chegar mais cedo para fazer o relatório, estava na hora do almoço e porque não arriscar?

Levantei indo até a sala de Jéssica batendo, esperei a autorização e entrei, ela estava ao telefone, esperei terminar a ligação convidando-a:

-Gostaria de almoçar comigo?    

-Sim se pudermos ficar por aqui mesmo?

-Sim claro, conheço um lugar que pode entregar o nosso almoço!

 

-Perfeito, se quiser pode ir fazendo os pedidos.

Notas finais:

Beijos...

Até a proxima!!



Comentários


Nome: lis (Assinado) · Data: 12/10/2016 07:20 · Para: Capítulo 10 – Sozinha com ela

Oi Bia, tudo bem? Que história linda ela é leve de ler, parabéns



Resposta do autor:

Olá Lis, seja bem vida!!

Obrigada por aprovar o eredo e a convido a ler meus outros contos na páginas, são tão bons quanto esse!!

Bjs



Nome: rhina (Assinado) · Data: 10/10/2016 22:22 · Para: Capítulo 10 – Sozinha com ela

 

Olá. 

Hummm....elas passaram um bom tempo juntas.

Uma clima super gostoso se criou...

Será o começo? 

Beijos. 

Rhina



Resposta do autor:

Rhina querida pode apostar que esse foi o começo!!

Emoções mais fortes viram...

Bia



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.